FANDOM


The witcher lara dorren aep shiadhal by marichurina-daq0k1l

Lara Dorren aep Shiadhal, filha de Shiadhal, foi uma feiticeira, elfa Aen Elle e Aen Saevherne (Versada). Com certeza, uma das mais misteriosas, até mesmo para os próprios elfos, portadora de Hen Ichaer, o Sangue Antigo.

O pouco que se sabe sobre sua história é que Lara havia sido prometida a Crevan Espane aep Caomhan Macha, que, assim como ela, era um Versado; porém, Lara apaixonou-se por Cregennen de Lod, um poderoso feiticeiro humano. A amizade e o posterior amor entre os dois foram inicialmente recebidos com alegria por todos, contudo, alguns começaram a rechaçá-los, considerando a união das raças uma verdadeira traição.

O amor proibido entre Lara Dorren e Cregennan de Lod serviu para aumentar a existente rivalidade entre as raças élfica e humana.

Após a morte de Cregennan, vítima de uma intriga, Lara, que estava grávida, foi capturada e morreu em algum lugar ermo ao dar à luz a sua filha, Riannon, que, por um milagre, foi salva e acolhida por Cerro, rainha da Redânia

Reza a lenda que a rainha redaniana apenas acolheu a criança para livrar sua dinastia de um suposto sortilégio lançado por Lara pouco antes de morrer - como foi salientado por Keira Metz durante uma das reuniões da Loja das Feiticeiras.

No que diz respeito ao Sangue Antigo, os descendentes de Lara Dorren aep Shiadhal, incluindo Ciri, são reconhecidamente excepcionais por seus dons mágicos - principalmente o dom de profetizar. Sabe-se que somente eles são capazes de abrir Ard Gaeth, o Portão dos Mundos.No capítulo 5, o Rei dos Amieiros, Auberon Muircetach, chama Lara de filha.
Os detalhes importantes da trama terminam aqui.

Livros de Andrzej Sapkowski Editar

A história de Lara Dorren, embora verídica, ganhou contornos diversos com o passar do tempo: um mais romântico, que retrata Lara como uma heroína martirizada ao ter sido cruelmente assassinada pela raça humana; e outra, mais agressiva, que, do contrário da versão anterior, pinta uma imagem verdadeiramente horrenda da feiticeira elfa, como um ser vingativo, cruel e, ao fim, covarde, que primeiro lança um terrível sortilégio sobre a dinastia da destemida rainha Cerro, de Redânia, mas que depois clama em desespero por misericórdia. A primeira é a versão élfica e a segunda, a versão humana. Ambas são relatadas no início do Capítulo 6 de "Batismo de Fogo", por Andrzej Sapkowski (quinto livro da saga).

Em que pesem as diferenças entre as versões, em ambas aparecem o chauvinismo e o ódio racial.

Versão élfica Editar

"...mas as súplicas não amoleceram o coração de pedra dos Dh'oine, humanos, impiedosos e cruéis. E quando Lara, implorando por misericórdia, dessa vez não para si mesma, mas para sua filha, agarrou-se à porta da carruagem, o algoz, por ordem real, executou um golpe com um punhal e lhe cortou os dedos. E naquela noite terrivelmente fria, numa colina entre as florestas, Lara exalou seu último suspiro depois de dar à luz sua filha, protegendo-a com o restante do calor que nela ardia. E, apesar da escuridão, do frio e da nevasca ao redor, a colina foi envolta por uma aura primaveril e ali brotaram as formosas feainnewedd. Até hoje essas flores crescem apenas em dois lugares: em Dol Blathanna e na colina em que faleceu Lara Dorren aep Shiadhal."

Versão humana Editar

"A rainha respondeu: 'Não peça misericórdia a mim, mas àqueles que você feriu com seus feitiços. Você teve coragem de cometer atos ilícitos, então tenha coragem agora, quando a perseguição e a justiça estão próximas. Não tenho o poder de absolver seus pecados.' Nessa hora a feiticeira emitiu um silvo à semelhança de um gato, seus olhos maus brilharam. 'Minha perdição está próxima', gritou, 'mas a sua também, rainha. Na hora de sua morte terrível, haverá de lembrar-se de Lara Dorren e seu sortilégio. Saiba que meu sortilégio alcançará seus descendentes até a décima geração.' Quando reparou que no peito da rainha batia um coração valente, a má feiticeira élfica parou de maldizer, ameaçar e intimidar por meio do sortilégio e começou a ganir feito uma cadela pedindo sua ajuda e misericórdia..."

The Witcher 3: Wild Hunt Editar

Lara Dorren é mencionada algumas vezes em The Witcher 3: Wild Hunt, em razão de sua relação com Ciri. Uma das primeiras menções se dá quando Geralt e Avallac'h vão juntos ao mundo dos Aen Elle em busca da ajuda de Ge'els. Mais uma vez o nome da elfa é suscitado, dessa vez por Geralt, na missão "Criança do Sangue Ancestral", em que ele, Yennefer e Ciri vão ao laboratório de Avallac'h e descobrem que este fizera uma extensa pesquisa sobre o percurso do gene responsável pelo Sangue Ancestral em toda a linhagem de Lara Dorren.
Os detalhes importantes da trama terminam aqui.

Galeria Editar